Notícias Notícias

Voltar

TRT/MS reverte recursos para reestruturação elétrica do Cotolengo

O desembargador do TRT/MS, João de Deus Gomes de Souza, e o juiz e coordenador do Centro de Execução e Pesquisa Patrimonial (CEPP) Marcio Alexandre da Silva, entregaram nessa quinta-feira (17) ao Diretor-Presidente do Cotolengo, Pe. Valdeci Marcolino, a ordem de pagamento de R$ 60 mil para a instituição. O valor será utilizado para reestruturação da parte elétrica e construção de um posto de transformação de energia na instituição.

O desembargador João de Deus Gomes de Souza contou que esteve no Cotolengo durante um evento para arrecadação de recursos e ficou bastante sensibilizado e solicitou ao juiz Marcio Alexandre que verificasse a possibilidade de realização de algum projeto com a instituição.

O Cotolengo apresentou, então, o "Projeto Energia Estável", que envolve a construção de um posto de transformação de energia, que proporcionará mais rapidez e agilidade aos serviços, garantindo uma melhoria na rede elétrica e evitando assim equipamentos danificados devido a oscilações e quedas de energia elétrica.

Além do atendimento de aproximadamente 200 crianças, a instituição está desde junho com a Casa Inclusiva, uma casa com dez moradores e vinte sete funcionários - uma parceria do Estado, empresas e sociedade civil.

O Diretor Presidente, Pe. Valdeci, explicou que ao longo dos anos, o Cotolengo foi crescendo e a estrutura não está suportando mais a demanda. O objetivo com esse projeto é melhorar a instituição e a Casa para atender mais pessoas. "Essa parte da energia é muito importante. As pessoas não veem, não aparece, mas resulta em economia e melhor atendimento", explicou.

O juiz Marcio Alexandre da Silva pontuou que para o TRT/MS é importante mostrar e demonstrar que, além de proferir decisões judiciais, existe o lado social. "Esse recurso é fruto do trabalho de Juízes e Procuradores. São multas que revertemos para a sociedade", pontua.

A Instituição

O Cotolengo foi fundado em 20 de julho de 1996 pela Pequena Obra Divina Providência, congregação religiosa fundada por São Luís Orione.

Atende crianças e adolescentes com paralisia cerebral grave (Encefalopatia Crônica não progressiva) e deficiência intelectual e suas famílias, além de jovens e adultos (18 a 59 anos) com deficiência acolhidos pela instituição (Residência Inclusiva), com atendimento de 24 horas de forma ininterruptas.