Notícias Notícias

Inscrições abertas para nova turma da palestra sobre audiência telepresencial acessível

Devido à grande procura pela palestra "Audiência Telepresencial Acessível", promovida pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho, com o apoio da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região (MS), estão abertas inscrições para uma nova turma de capacitação. Clique aqui para se inscrever.

Mais de 450 pessoas de todo o país já participaram da palestra, que é on-line, gratuita e voltada para magistrados e servidores do Poder Judiciário, advogados e estudantes cegos ou com baixa visão. Em caso de dúvidas, envie um e-mail para ead@csjt.jus.br.

Acessibilidade

O objetivo da palestra é apresentar aos participantes a plataforma de audiência telepresencial "Cisco Webex", ferramenta disponibilizada aos tribunais pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para a realização de sessões e audiências por videoconferência durante a pandemia. Também haverá orientação acerca da utilização da plataforma de maneira acessível, a fim de minimizar o impacto causado pela pandemia da COVID-19 nas atividades judiciais de pessoas deficientes visuais.

A palestra aborda os seguintes tópicos: navegadores; meios de acesso; acessórios necessários; ferramentas da plataforma disponível aos advogados; descrição visual do ambiente de audiência telepresencial; ferramentas de acessibilidade; leitor NVDA; e configurações necessárias para comunicação sem ruídos.

O tema é ministrado pela juíza do Trabalho Déa Marisa Brandão Cubel Yule (que atualmente ocupa a posição de Presidente Substituta da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do TRT da 24ª Região) e por Silvio Henrique Lemos, analista judiciário do TRT24.

Segundo a magistrada, existem mais de mil advogados cegos no Brasil. "Nós faremos outros cursos para que os advogados cegos e os estudantes de Direito tenham acesso a esse conhecimento", assegurou Déa Yule, "e da mesma forma atenderemos a todos os servidores do Poder Judiciário brasileiro com deficiência visual que demandem esse conhecimento acessível".