Notícias Notícias

Palestra on-line sobre audiência telepresencial acessível terá novas turmas

Devido à grande procura pela palestra "Audiência Telepresencial Acessível", promovida pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho, com o apoio da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região (MS), foram abertas novas turmas de capacitação. Cerca de 450 pessoas de todo o país se inscreveram para participar da palestra, que é on-line, gratuita e voltada para magistrados e servidores do Poder Judiciário, advogados e estudantes cegos ou com baixa visão.

A segunda turma será realizada no dia 3 de julho, às 15 horas (horário de Brasília); e mais duas turmas foram agendadas para o dia 10 de julho, às 10 horas e às 15 horas (horário de Brasília). Também foi formada uma lista de espera para novas turmas que serão realizadas com a abertura de novas turmas no segundo semestre. Para se inscrever na lista de espera para a vaga das próximas turmas, preencha este formulário online. Na data e hora do evento, os inscritos deverão entrar por meio deste link, dentro da plataforma "Cisco Webex". Em caso de dúvidas, envie um e-mail para ead@csjt.jus.br.

Acessibilidade

O objetivo da palestra é apresentar aos participantes a plataforma de audiência telepresencial "Cisco Webex", ferramenta disponibilizada aos tribunais pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para a realização de sessões e audiências por videoconferência durante a pandemia. Também haverá orientação acerca da utilização da plataforma de maneira acessível, a fim de minimizar o impacto causado pela pandemia da COVID-19 nas atividades judiciais de pessoas deficientes visuais.

A palestra aborda os seguintes tópicos: navegadores; meios de acesso; acessórios necessários; ferramentas da plataforma disponível aos advogados; descrição visual do ambiente de audiência telepresencial; ferramentas de acessibilidade; leitor NVDA; e configurações necessárias para comunicação sem ruídos.

O tema é ministrado pela juíza do Trabalho Déa Marisa Brandão Cubel Yule (que atualmente ocupa a posição de Presidente Substituta da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do TRT da 24ª Região) e por Silvio Henrique Lemos, analista judiciário do TRT24.

O curso também contou com a tutoria do advogado Cássio Roberto Gomes Silva, ex-aluno do curso de PJe acessível ministrado pelos instrutores Déa Yule e Silvio Lemos, em 2019, e que compartilhou nas turmas suas experiências de acessibilidade testadas com os instrutores. Juntos os três confeccionaram um material de apoio a ser disponibilizado aos alunos.

Segundo a magistrada, existem mais de mil advogados cegos no Brasil. "Nós faremos outros cursos para que os advogados cegos e os estudantes de Direito tenham acesso a esse conhecimento", assegurou Déa Yule, "e da mesma forma atenderemos a todos os servidores do Poder Judiciário brasileiro com deficiência visual que demandem esse conhecimento acessível".

Depoimentos

Os alunos que participaram da primeira turma do treinamento ficaram satisfeitos com o conhecimento compartilhado. A advogada Maria Helena Plácido elogiou o espírito colaborativo da equipe. "Emocionante e agradeço muito poder participar", enfatizou.

"Grata satisfação pelo aprendizado recebido. Hoje, para mim, o verbete 'limites' foi ultrapassado, inegavelmente! Nos exemplos de superação que contemplamos, testemunhamos essa grandiosidade", afirmou Jean Fratari, que é servidor com perda auditiva do TRT24.

A advogada Flávia Wanderley disse ter feito vários cursos sobre a plataforma Webex, "mas nenhum foi tão didático, foi maravilhosa a transferência de informação. Estou emocionada e quero levar o curso a conhecimento dos advogados do Rio de Janeiro",

"O que aconteceu hoje, tem o potencial de mudar vidas!", concluiu a aluna Liliana Lúcia de Lima Barreto, servidora do TRT3.