Notícias Notícias

TRT/MS recebe certificado de 1º Lugar na Semana de Execução

O TRT/24ª recebeu, por meio de seu Presidente, desembargador Nicanor de Araújo Lima, o certificado de 1º Colocado como tribunal de Pequeno Porte que mais se destacou durante a 9ª Semana de Execução Trabalhista, realizada de 16 a 20 de setembro deste ano. O certificado foi entregue pelo Presidente do TST, Ministro João Batista Brito Pereira, durante a reunião do Coleprecor em Brasília, nesta quarta-feira.

O TRT/MS movimentou R$ 198,8 milhões durante a Semana Nacional, ficando atrás, apenas, do TRT da 15ª Região (Campinas/SP), considerado um regional de grande porte. No cômputo geral, a Justiça do Trabalho movimentou quase R$ 1,7 bilhão, que é recorde para apenas uma edição da campanha que, neste ano, atendeu mais de 63 mil pessoas em todo o país.

Do total, R$ 594,7 milhões foram provenientes dos mais de 9,2 mil acordos homologados durante a Semana. Os 830 leilões movimentaram quase R$ 137 milhões, enquanto mais de R$ 225 milhões resultaram de mais de 40,5 mil bloqueios judiciais via Bacenjud, totalizando, somente nessas operações, mais de R$ 956,7 milhões. Até o ano passado, a consolidação final dos resultados da Semana Nacional da Execução Trabalhista contabilizava apenas os valores decorrentes dessas operações (acordos homologados, leilões e bloqueios via Bacenjud). O recorde anterior era de R$ 819 milhões, registrado em 2017. Na edição de 2018, o montante movimentado foi de R$ 719 milhões.

A partir da edição deste ano, passaram a ser considerados, entre outras transações, os valores relativos ao Imposto de Renda e Previdência (R$ 48,9 milhões), os recursos liberados por meio de alvarás (R$ 363,9 milhões), o valor de créditos e ativos financeiros bloqueados (R$ 110,9 milhões), a liberação de recursos financeiros para quitação de precatórios das Fazendas Municipal, Estadual e Federal (41,2 milhões) e a quitação direta de valores (R$ 144 milhões), que, somados aos recursos movimentados com acordos homologados, leilões e bloqueios via Bacenjud, atingiram o valor recorde de quase R$ 1,7 bilhão.